GO
 
Quer melhorar a sua saúde?

Inscreva-se para receber a nossa newsletter Paleo (inclui receitas):

Fale Connosco

Jejum, Emagrecimento & Longevidade

 

Jejum Intermitente Paleo

Jejum Intermitente e Fitness

O Jejum Intermitente é uma tendência no mundo do fitness que tem conquistado cada vez mais adeptos quando o tema é emagrecimento e boa forma. Não sendo uma dieta, é uma estratégia que pode ajudar acelerar resultados nalguns tipos de dietas, nomeadamente a Dieta Paleo, mas também muito procurado para promover melhorias na saúde ou simplificar o estilo de vida e a alimentação.


Origem do Jejum Intermitente

O Jejum Intermitente é uma prática milenar que sempre existiu ao longo da evolução do Homem enquanto espécie. Está presente em muitas ideologias religiosas, Budismo, Cristianismo, Islamismo e tantas outras e, involuntariamente, já todos o praticamos durante o período de tempo em que dormimos e não nos alimentamos. 


O que é o Jejum Intermitente

Jejum Intermitente é um termo usado para descrever um padrão alimentar em que se estabelece um período de restrição total de alimentos, período de jejum, intercalado com um período de tempo em que nos alimentamos, período de alimentação.


Exemplo Prático

Na prática, um exemplo de um protocolo de jejum intremitente poderia ser, jantarmos às 20h e voltarmos a comer às 12h do dia seguinte, ao “almoço”. Neste caso, jejuamos 16h, aproveitando o período do sono, e a nossa janela de alimentação é de 8h. Existem vários protocolos e diferentes formas de os implementar, adequados às necessidades, singularidade e objetivos de cada pessoa. Mas praticar jejum não é sinónimo de passar fome, sentir fraqueza ou ser algo doloroso de implementar.


O Nosso Corpo e o Jejum Intermitente

O nosso corpo é uma máquina perfeita. Na ausência de alimento e por uma questão de sobrevivência, impressa nos nossos genes durante milhões e milhões de anos, ele recorre a mecanismos fisiológicos que o permite continuar a exercer as suas funções, usando a gordura armazenada como substrato energético. Assim que o corpo esgota todas as reservas de energia disponíveis (glicose e glicogénio muscular e hepático), e se nos mantivermos em jejum, ele começa a ter de tirar partido da oxidação dos ácidos gordos, gordura armazenada, para conseguir gerar energia e subsistir.

Se está habituado às 5 ou 6 refeições diárias ou a uma ingestão elevada de hidratos de carbono na sua alimentação, é natural que não se sinta ainda habilitado metabolicamente para começar a praticar jejum de 24h. Se sempre ensinou ao seu corpo a usar açúcar (glicose) para ter combustível, não lhe pode pedir, sem o preparar previamente que, ao invés disso, comece a queimar o stock de gordura acumulada, que é uma das implicações do Jejum Intermitente. Primeiro é importante adaptar-se a uma estratégia alimentar com uma carga de açúcares mais baixa e depois iniciar o protocolo 16h/8h. Verá que assim o processo não será difícil.


Mais Benefícios do Jejum Intermitente

Os benefícios do jejum vão muito além da melhoria da composição corporal e perda de massa gorda. Os seus efeitos na longevidade, por exemplo, têm vindo a ser alvo de grande interesse no meio científico e os pressupostos fisiológicos que sustentam esta relação são muito bem explicados pelo Nobel da Medicina 2016, Yoshinori Ohsumi. O que acontece é que o jejum induz a um processo de reparação celular, chamado autofagia através do qual o nosso corpo consome, literalmente, os resíduos celulares acumulados. É um mecanismo natural de auto limpeza onde existem genes responsáveis por reciclar o “lixo” armazenado e que são ativados quando praticamos jejum. A inibição e/ou diminuição deste processo levam à acumulação de componentes deteriorados, o que está associado à morte celular e ao desenvolvimento de doenças. Portanto segredo será manter o mecanismo ativo, de forma equilibrada, evitando, assim, muitas das doenças no futuro.


Jejum Intermitente e Longevidade

Além disso, o Jejum Intermitente impulsiona o aumento da produção da hormona de crescimento (GH), considerada por muitos, o elixir da juventude. Como o nome indica é uma hormona fundamental durante o desenvolvimento das crianças e adolescentes mas é também muito importante na idade adulta e durante a vida. A partir dos 30 anos existe uma redução fisiológica da sua produção, em ambos os sexos, denominada de somatopausa, e que está associada a um decréscimo dos nossos níveis de energia, aumento de gordura localizada, diminuição da massa magra, perda de elasticidade da pele e de densidade mineral óssea e, consequente, envelhecimento. O pico de produção de GH no nosso corpo ocorre nas primeiras horas do sono. Os baixos níveis durante o dia em relação aos altos níveis durante a noite, estão também muito relacionados ao facto de durante o dia estarmos em constante alimentação (não havendo fome) e durante a noite estarmos em pausa alimentar decorrente do período de sono.


Conclusão

Muitos dos benefícios do Jejum Intermitente estão associados a uma configuração hormonal mais afinada, que contribui para nos manter, durante o máximo de tempo, no nosso potencial genético independentemente do factor idade. Daí ser elementar conhecer o bioritmo do nosso corpo, aprender a respeitá-lo e adoptar estratégias que permitam uma expressão otimizada da nossa química e dos nossos genes.

Somos todos diferentes, com necessidades diferentes mas todos temos, em maior ou menor grau, responsabilidade pessoal em relação á nossa saúde e bem estar. Seja qual for o seu objetivo (estético, de saúde, ou outro) o Jejum Intermitente não deve ser visto como um fim mas sim como uma consequência. A consequência da mudança da sua alimentação, estilo de vida e da compreensão da dinâmica de funcionamento do seu corpo.

Autora: Dra. Ana Pabla, Nutricionista Paleo


Poderá também ter interesse em:



Partilhar
Quer melhorar a sua saúde?

Inscreva-se para receber a nossa newsletter Paleo (inclui receitas):